16 maio, 2009

O céu sempre atrapalhou os cristãos...

A partir deste título, proferido por meu professor durante uma aula de missiologia bíblica, e repetida por mim na reunião de professores da EBD, entramos numa discussão sem muito compromisso teológico, mas que acabou se mostrando um ótimo debate sobre a consciência cristã a respeito do “fazer o bem”, segundo exposto na carta de Tiago, em seu capítulo 4, verso 17, que diz:

“Aquele, pois, que sabe fazer o bem e não o faz, comete pecado.”
Há muito os cristãos se revestiram de uma capa escatológica, como se fossemos um “povo do futuro”, escolhidos para um momento vindouro e não para sermos, hoje, o Reino de Deus. Conforme o pensamento de Oscar Culmann sobre o Reino de Deus, este “já e ainda não”. O Reino de Deus já foi instituído na terra e somos nós os seus fieis súditos. Por outro lado, o Reino de Deus ainda não foi instituído em sua totalidade, e aqui sim, o pensamento escatológico tem grande valor, pois o objetivo último de todo cristão é chegar, um dia, a estar face a face com o Criador do Universo, Jesus Cristo, diante do seu trono.

Vamos tentar generalizar este pensamento, apesar de reconhecer infinitas exceções. Em conseqüência de pensarmos sempre no bem vindouro, em nossa própria salvação e visita aos lugares celestiais, acabamos esquecendo que o bem deve ser realidade em nossas vidas e nas vidas daqueles que estão sempre por perto não somente no futuro, mas agora. É papel do cristão, aquele que prega o amor como a principal das virtudes, fonte de nossa salvação no coração de Deus, que fez com que Este não poupasse sequer seu então Único filho para que nós, que nem mesmo pedimos, fossemos por Ele restaurados e perdoados, praticar o verdadeiro amor e fazer o bem num mundo mal. É nossa função como cristãos fazer com que o Reino de Deus se estabeleça onde estivermos presentes, seja em nosso lar, em nosso trabalho, escola, faculdade ou num simples bate-papo de amigos na esquina da rua.

É bem verdade que Jesus deixou uma ordem inegociável, pregar o evangelho, e confesso que evangelizar reflete uma grandiosa esperança salvífica. Porém salvação não significa somente morar no céu, antes engloba, entre outros, a restauração do ser humano. Ora, não consigo racionalizar uma restauração sem renovação pelo amor, sem que nos tornemos capazes de amar “com todas as nossas forças” Àquele que possibilitou tudo isso e ainda àqueles que por Este foram criados.

Mas como, historicamente, temos demonstrado esse tão grande amor que adquirimos? Pessoalmente não me lembro de nenhuma grande contribuição trazida pelo cristianismo ao mundo, nenhuma transformação ou marcação positiva na história causada pelos cristãos, tampouco por nós evangélicos, os “super cristãos”. Salvo raras exceções locais, como alguns avivamentos o que me vem à memória são as fogueiras da inquisição, a dominação feudal, os escândalos financeiros e de abusos sexuais. Localmente os escândalos são muito mais presentes e destrutivos.

Porque sempre abandonamos o bem para nos conformar com o mal? Porque não há luta contra a injustiça e contra o mal? O que estamos esperando para estabelecer o Reino de Deus no nosso mundo, em nosso lar, em nossa igreja local, em nossa classe de aula, em nosso trabalho. Não é nesses lugares que a transformação começa? Porque igrejas com milhares de membros não conseguem transformar sequer a realidade problemática do bairro onde estão estabelecidas? Onde está Deus, onde está Jesus, onde está o amor que pregamos? Porque não conseguimos salgar o mundo, antes somos adoçados por ele? Porque lutamos por um céu que nem mesmo está aqui ainda, enquanto ao nosso lado existem pessoas que sofrem pela falta do bem que podemos e devemos fazer?

Eu não tenho a resposta para estas questões. Eu nem mesmo as entendo. Mas sei que o céu é para nosso beneficio, e que ele já nos foi conquistado e entregue por nosso Senhor Jesus lá naquela cruz. Ele já está esperando por nós. Temos outras coisas a fazer antes de chegarmos até ele. O mundo clama por este amor...



Um comentário:

  1. Camila Castro20 maio, 2009 11:11

    Muito bom. A palavra de Deus nos dá a garantia de que se nos aproximarmos e nos tornarmos intimos e amigos do Senhor ele nos contará o seus maiores segredos... Que ele continue te usando...

    ResponderExcluir

Somente comentários ofensivos serão moderados. Discordar de mim não é pecado, então discorde à vontade.