22 novembro, 2009

Uma Nova Geração

Por Ruy Cavalcante

Tenho ouvido bastante nos últimos anos, especialmente nos últimos meses, que Deus está levantando uma nova geração. Não questiono este assunto, pois creio que realmente isso acontecerá, não na velocidade que, como homem, gostaria, mas com certeza na velocidade que Deus decidiu.

Por outro lado, satanás tem copiado este plano e já tem levantado não somente uma, mas várias gerações, embora sejam gerações “piratas”. Uma delas, assunto deste post, é a “geração restituição”.

Geração restituição é aquela que, diferente da perspectiva bíblica para tal atitude de devolução, exige a restituição. Neste novo ponto de vista Deus passa a ser servo, e o crente por sua vez é aquele que é servido, que lança ordens do tipo “eu quero de volta o que é meu”.

Não há como negar que restituição é uma expectativa, uma promessa bíblica, porém, no livro de Joel temos grandes revelações de como esse processo se dá e podemos então perceber quão divergente o contexto bíblico se apresenta em relação às determinações da geração restituição. Vejamos alguns trechos:

(...) Todavia ainda agora diz o Senhor: Convertei-vos a mim de todo o vosso coração; e isso com jejuns, e com choro, e com pranto. E rasgai o vosso coração, e não as vossas vestes; e convertei-vos ao Senhor vosso Deus; porque ele é misericordioso e compassivo, tardio em irar-se e grande em benignidade, e se arrepende do mal. (...) Então o Senhor teve zelo da sua terra, e se compadeceu do seu povo. E o Senhor, respondendo, disse ao seu povo: Eis que vos envio o trigo, o vinho e o azeite, e deles sereis fartos; e vos não entregarei mais ao opróbrio entre as nações; (...) Assim vos restituirei os anos que foram consumidos pelo gafanhoto voador, o devorador, o destruidor e o cortador, o meu grande exército que enviei contra vós. Comereis abundantemente e vos fartareis, e louvareis o nome do Senhor vosso Deus, que procedeu para convosco maravilhosamente; e o meu povo nunca será envergonhado. (...)

A restituição prometida não é aquela que acontece quando “determinamos a benção” ou quando pressionamos Deus na parede para cumprir aquilo que decidimos ter direito. A verdadeira restituição só acontece quando há transformação, mas será que esta atual geração apresenta um coração transformado?

Será que aqueles que ordenam a Deus que devolva aquilo que se perdeu já rasgaram os seus corações, já se converteram e mostraram isso com jejuns e com choro? Será que as lágrimas desta geração refletem arrependimento ou são apenas emoções diversas?

Deus de fato é misericordioso, mas a misericórdia dEle está contida em Cristo e não em suas bênçãos. Para que ela seja realidade em nossas vidas precisamos antes de tudo estar ligados a Jesus, convertidos a Ele, transformados em servos e não em senhores ou em colegas semi-deuses. Quando esta condição não existe, a única expectativa para nossas vidas é a condenação eterna, longe da misericórdia de Deus.

O grande engano de satanás, levado a cabo por esta geração delirante, é justamente fazer acreditar que a misericórdia de Deus se revela não em Cristo, mas em suas bênçãos e em seus sinais. Como afirmei no artigo anterior, os sinais não são a marca da salvação e sim os frutos. Perguntarei novamente, será que esta geração tem apresentado frutos de arrependimento, o que a bíblia também chama de Frutos do Espírito?

Reafirmo que creio numa nova geração, não conforme a que se apresenta no contexto gospel de nosso país, mas conforme o contexto das primeiras gerações, narradas nos Evangelhos e em Atos do Apóstolos. Uma nova (porém antiga) prole de cristãos, comprometidas com a Palavra de Deus segundo o exemplo dos bereianos (At 17:11-12), capazes de renunciar seus próprios desejos (Lc 9:23) para viver a vontade de Deus, que amam não somente de palavras, mas em atitudes de obediência (Jo 14:21), e que sabem da obrigação de cumprirem um papel social ativo (Tg 4:17; Ef 2:10).

É nesta “trupe” que pretendo ser encontrado, numa comunidade subversiva quanto aos oferecimentos de satanás, revoluta, vivendo a verdadeira contra-cultura do mundo, e meu desejo e luta têm sido para que você, que lê estas linhas mal traçadas, possa ser despertado para Cristo, sem qualquer dissonância de Sua única e verdadeira Palavra, que excede todo entendimento e que nos liberta verdadeiramente. Pense nisso.

Em Cristo, com amor.
.
.



0 comentários:

Postar um comentário

Somente comentários ofensivos serão moderados. Discordar de mim não é pecado, então discorde à vontade.