30 janeiro, 2011

Fazendo as pazes com a razão

Por Ruy Cavalcante

"Irmãos, o bom desejo do meu coração e a minha súplica a Deus por Israel é para sua salvação. Porque lhes dou testemunho de que têm zelo por Deus, mas não com entendimento. Porquanto, não conhecendo a justiça de Deus, e procurando estabelecer a sua própria, não se sujeitaram à justiça de Deus. Pois Cristo é o fim da lei para justificar a todo aquele que crê". (Rm 10:1-4)

Esta passagem da carta de Paulo aos romanos traz à tona as graves conseqüências de se viver uma fé sem entendimento, sem que façamos uso de nossa razão de forma a conectar a Palavra de Deus à nossa realidade diária, especialmente no que se refere à nossa relação com Deus e com Seus planos.

É temeroso demais para mim, como cristão evangélico, perceber quão importância Paulo atribui à razão quando declara que nem mesmo um zelo genuíno por Deus pode nos livrar da conseqüência de não se alcançar a Sua justiça quando não entendemos os Seus planos, especialmente aqueles relacionados à obra de Cristo e o propósito de Sua jornada na terra.

Numa época onde as emoções tomaram o papel pertencente à razão (o de determinar através do discernimento espiritual e do entendimento das Escrituras o que vem e o que não vem de Deus), a afirmação de Paulo torna-se extremamente preocupante. As experiências são hoje a prova da verdade, pois não se pergunta mais sé determinada prática ou ensino é verdadeiro, mas questiona-se apenas se “dá certo”.

Algo semelhante a isso estava sendo vivido pelos romanos. Tinham a preocupação de estar agradando a Deus, porém desconectados da verdade do Evangelho. A conseqüência disso? Não estavam vivendo uma justiça verdadeira, vinda de Deus, mas uma justiça de homens, que não tinha poder para salvá-los. 

Note que Jesus é a justiça de Deus, pois é através dEle que somos justificados.

Mas para alcançar a Justiça de Deus (Jesus) não basta capricho, é necessário entendimento, é necessário devolver à razão o seu papel dentro do cristianismo que é o de processar as informações do que nos cercam, interpretando-as com o auxílio do Espírito Santo, de forma a vivermos uma fé prática, conectada à verdade do Evangelho de Cristo.

Ora, a fé vem pelo ouvir a Palavra de Deus (Rm 10:17) e isso significa que ela vem através do entendimento dos planos e princípios de Deus explícitos na Cruz. Ela não vem de experiências sensitivas e Paulo confirma isso no mesmo capítulo da carta aos romanos, quando declara que só é possível invocar o nome de Deus quando ouvimos e entendemos a Palavra de Deus. Invocar, segundo o mesmo contexto, significar viver uma fé com entendimento, a ponto de alcançar justiça, ou justificação (Rm 10:9-14).

Reconheço que este é um assunto complexo, que se desenrola por campos pouco explorados em nossas igrejas, nas escolas bíblicas e afins, como a relação entre Antigo Testamento e a nova vida com Cristo, o uso da razão e o papel das emoções, mas os tempos são difíceis e precisamos voltar a experimentar o Evangelho Genuíno de Cristo, a Palavra de Fé e não apenas as sensações buscadas por boa parte de nossa geração. Não podemos correr o risco de viver uma justiça falha, que não provém de Deus.

Façamos então a pazes com a razão, e coloquemos nossas emoções em seu devido lugar, que é o de nos levar a refletir uma nova natureza, fazendo-nos compadecidos do sofrimento alheio.

Fonte da imagem: http://raciocinioteologico.blogspot.com



5 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. MUITO bom! Concordo com tudo!

    Só pegando sua linha de pensamento para complementar com uma coisa: Quando a pessoa começa a colocar seus sentimentos em primeiro plano, ai mora o perigo. Ela diz: Hoje eu não SINTO Deus comigo..
    Mas ela está colocando seus sentimentos em primeiro lugar, e se esquecendo da palavra de DEUS que nos afirma que DEUS está SEMPRE conosco! Ou então ela diz: Acordei me SENTINDO um lixo hoje.. ela tem 2 opções: 1º Se sentir um lixo o dia todo.
    2º Ir para a PALAVRA de DEUS e ver seu valor!
    DEUS criou os sentimentos e eles são bons, só não deixe eles te dominarem.
    Sabe algumas coisas são de DEUS você sentir, sabe quais são?
    Amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio! (Gálatas 5;22)

    Um abraço :)

    ResponderExcluir
  3. Paz Irmã Ana,
    Obrigado por complementar este artigo, você tem toda a razão. È como a própria Palavra de Deus fala: "enganoso é o coração do homem"...

    Não precisamos sentir algo para fazer o que é certo.

    Deus te abençoe sempre.

    ResponderExcluir
  4. Paz irmão Ruy 8)

    Não tem por onde!
    É um prazer :D

    É verdade! E engana muita gente, por falta de conhecimento da palavra.

    Exato!

    Amém. E à você também :]

    ResponderExcluir
  5. Olá Ruy, Paz !

    O Resumo disto é a fé é o real conhecimento de Deus na pessoa de Jesus, exemplo para os homens.

    ResponderExcluir

Somente comentários ofensivos serão moderados. Discordar de mim não é pecado, então discorde à vontade.