29 julho, 2011

Obediência cega (Cobertura Espiritual - Parte 2)

Por Ruy Cavalcante

Dando continuidade ao post anterior, contarei mais um breve testemunho.

Quando conheci minha esposa não éramos servos de Jesus. Durante o namoro ela foi ao “Encontro” gedozista e ao retornar passamos a freqüentar uma igreja em células. Minha esposa estava grávida, mas ainda não sabíamos. Ao descobrir, durante o terceiro mês de gestação, já havíamos nos entregado a Cristo.

Até então, tudo em minha vida era pecado, pois somente em Cristo somos purificados. Acontece que nossos líderes exigiram que eu separasse de minha esposa, alegando que nosso relacionamento não era da vontade de Deus, por haver sido iniciado sem a confirmação dEle. Ora, qual a pessoa que não serve a Deus pedirá autorização a Ele para se relacionar com alguém?

Meu relacionamento, assim como tudo em minha vida até aquela data, não tinha sido constituído nos moldes cristãos, mas a partir de então, cabia a nós dois cumprir com os propósitos de Deus, oficializando o casamento de acordo com as leis civis e celebrando a vida de nossa filha que chegaria em breve. Eles não aceitaram, disseram que se não foi autorizado por Deus não poderia acontecer e que se insistíssemos eles não mais nos “cobririam espiritualmente”.
Eu já havia freqüentando a igreja evangélica durante alguns anos e isso salvou minha família, pois desde o primeiro dia que pisei numa igreja comecei a ler o que diziam ser o “manual do crente”, ou seja, a bíblia. Nela eu já havia descoberto o caminho e o procedimento correto diante de Deus, mas até aquele momento ainda não havia permitido que aquilo fizesse parte de minha vida. Mas agora era diferente. Eu queria Jesus e queria minha família. Tinha certeza que meu arrependimento faria com que Deus me perdoasse, purificasse meu espírito e transformasse minha família.


"Justificados, pois, pela fé, tenhamos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo, por quem obtivemos também nosso acesso pela fé a esta graça, na qual estamos firmes, e gloriemo-nos na esperança da glória de Deus".  (Rm 5:1-2)


Decidi ficar sem “cobertura espiritual” e permanecer com Cristo e com minha família. Hoje continuamos juntos, minha filha fará em setembro sete anos de idade, está no segundo ano escolar, sabe ler, escrever, tem uma família estruturada e conhece a bíblia mais do que muito crente “coberto”. Eu e minha casa servimos ao Senhor na igreja Batista Restauração, cujo pastor Breno Cavalcante é nosso amigo, líder irrepreensível, o qual eu respeito absolutamente em tudo, temos todos os problemas e conflitos relacionados à família, mas somos felizes e Cristo é conosco.

Mas se houvéssemos obedecido nossa cobertura espiritual, que legislava sobre nossa vida pessoal e havia determinado o fim de minha família, como estaríamos hoje?


"Mas, se alguém não cuida dos seus, e especialmente dos da sua família, tem negado a fé, e é pior que um incrédulo". (I Tm 5:8)

Jesus é o nosso Senhor (Rm 5:1; 14:8)e Ele escolheu líderes para nos ajudar a caminhar, não para que nós os ajudássemos em suas caminhadas pessoais ou para que confirmássemos sua liderança obedecendo-os cegamente...

...

Em tempo...

Tenho certeza que minha experiência não é necessariamente o padrão em igrejas evangélicas, especialmente neopentecostais, porém este é mais um exemplo de como esta doutrina extrabíblica da "cobertura espiritual" pode causar danos irreparáveis. Quantos Brasil afora não se depararam com situações semelhantes e obedeceram seus líderes, sob a suposta autoridade concedida a eles por Deus para legislar sobre a vida pessoal das ovelhas, e acabaram mal?

Este artigo não é um tratado em favor da rebeldia e sim em favor do senhorio exclusivo de Cristo sobre as nossas vidas.

E que o nosso absoluto Senhor Jesus nos abençoe.



12 comentários:

  1. Fala aí meu amigo!!!! Muito bom esse blog... que Deus continue usando sua vida.... É verdade! Precisamos sim conhecer a luz da verdade, a Palavra de Deus, para que não sejamos enganados pelos ventos das doutrinas que nos levam a pecar e tentam arruinar nossa vida e família. Líder precisa ter crédito para lider, unção para ministrar e Amor para apascentar!

    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Paz irmão Jefferson,

    Perfeita colocação, eu só acrescentaria que o líder tbm precisa ter disposição para servir mais do que o desejo de ser servido, como muitos por ai..

    Deus abençoe.

    ResponderExcluir
  3. A Paz do Senhor!

    Seu procedimento foi o correto. Não creio que tenha sido rebeldia. A semente que Jesus lançou em sua vida pela leitura da Palavra de Deus lhe fez tomar a decisão correta.

    Hoje não existem mais sacerdotes como antigamente, que eram intermediários entre Deus e o homem. Hoje apenas Jesus Cristo é nosso intermediario e, como diz a Escritura, "o véu se rasgou (...) e Deus mesmo nos ordena chegar com intrepidez "ao Santo dos Santos" "pelo sangue de Jesus".

    Cobertura espiritual só o Senhor Jesus dá por meio de Seu Espirito Santo que habita em nosso coração.

    Ao não atender a "ordem sem cabimento algum" e que demonstra a falta de conhecimento e principalmente de compaixão e amor "daqueles lideres" você salvou sua vida e de sua familia!

    Que Deus te abençoe meu querido irmão!

    ResponderExcluir
  4. A paz Paulo César..

    Tbm penso dessa forma, mas na época foi dificil a decisão, eu queria fazer a coisa certa e não tinha todas as convicções necessárias...

    Temo pela vida de pessoas que se submeteram a este tipo de jugo, pois embora alguns líderes não cometam exageros, a propria idéia de cobertura espiritual é enraizada num princípio de dominio e isso pode destruir vidas ao invés de construi-las...

    Deus te abençoe amado irmão.. abraços

    ResponderExcluir
  5. Graça e paz irmão. =)

    Me desculpe estar lhe falando sobre isso aqui, por um comentário. Mas rogo encarecidamente ao irmão, que nos ajude a divulgar um texto intitulado "Manifesto Cristão" que vai no link abaixo.

    http://aounicodeusverdadeiro.blogspot.com/2011/07/manifesto-cristao.html

    Ele é apenas uma adaptação de alguns textos de vários autores Cristãos. A intenção é apenas levar esta palavra ao maior número de pessoas possível. Isso é um manifesto contra o evangelicalismo moderno, que tem enganado muitas pessoas e desonrado ao nosso amado Senhor Jesus.

    Leia o texto, e se achar pertinente postar em seu blog, ficarei imensamente honrado e agradecido. Se conhecer outras pessoas ou blogueiros que possivelmente se interessariam em divulga-los, seriam maravilhoso também. Se você não quiser, não precisa citar fonte nem nada desse tipo. Só a publicação do conteúdo, para o conhecimento das pessoas, já seria uma benção sem tamanho.

    Desculpe qualquer incômodo. Desde já, grato pela atenção. =D

    Pode apagar esse comentário.

    Victor Silva

    ResponderExcluir
  6. Mano está sua serie de estudos sobre essa porcariada gospel que só gera escravidão e cegueira espiritual nas pessoas está ótima
    Só toma cuidado, pq tu mora aí do ladinho
    do grande patriarca que gosta de falar em honra...
    sauhsuash, rsrsrs

    do amigo:
    conscienciaefe.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Já sofri represálias de alguns seguidores do Sr honra... ehehehehheheh

    ResponderExcluir
  8. Muito boa essa historia, sobre a " tal cobertura". Obrigada por postar essa experiencia...Glaucia

    ResponderExcluir
  9. Eu fiquei tantos anos oprimida por causa desta tal cobertura espiritual...que quando penso até hoje me sinto mal...eu quase enlouqueci...de verdade....fiquei traumatizada com líderes,com igreja...aos poucos estou voltando,mas é algo que se a pessoa não for buscar a verdade vira escravo desses falsos pastores...

    ResponderExcluir
  10. Sim irmã Jana, toda doutrina que não provém de Deus destroi, nunca edifica, mesmo que a aparencia e os resultados sejam de sucesso...

    Nosso busca deve ser por um sucesso celestial, jamais terreno...

    ResponderExcluir
  11. Somos COBERTOS pelo Sangue de Cristo Jesus... e isso já nos basta!

    ResponderExcluir
  12. E como basta Felipe.. Deus o abençoe irmão.

    ResponderExcluir

Somente comentários ofensivos serão moderados. Discordar de mim não é pecado, então discorde à vontade.