30 junho, 2011

Cristãos em perigo

Por Ruy Cavalcante

Recentemente fiquei absolutamente chocado, de verdade, ao ser confrontado com os resultados de recente pesquisa sobre o cristão e o sexo. Me assombrei também ao perceber que o resultado desta pesquisa, antes de fazer refletir, causou apenas uma enxurrada de piadas entre vários blogs cristãos.
Como pode ser engraçado (por exemplo) saber que uma porcentagem tão grande de evangélicos (24,68% homens e 11,96% mulheres) traem seus cônjuges?
O que está acontecendo conosco? Em que ponto tornamos o Evangelho de Jesus Cristo tão relativo assim em questões sobre o pecado?
Todos os dias vejo nas mais diversas redes sociais jovens brincando de pecar. Citações imorais, desejos carnais expostos sem o menor pudor e com o único intuito de satisfazê-los ou de revelar “como foi bom”. Os jovens cristãos indicam músicas com conteúdo lascivo, apenas para parecerem “atualizados” com as novidades, filmes impróprios, textos e citações contrárias à Palavra de Deus simplesmente para parecerem inteligentes e cultos.
Ora, sabedoria é a que vem do alto, do mundo chama-se engano.
Porque o Senhor dá a sabedoria; da sua boca procedem o conhecimento e o entendimento”. (Pv 2:6)
Não obstante a bíblia afirmar que a sabedoria verdadeira vem do Senhor, nós muitas vezes ensinamos com nossas atitudes o contrário. “Sábio é o mundo que me aceita como eu sou” poderiam dizer muitos crentes moderninhos.
Mas eu preciso alertá-los, leiam atentamente: O Evangelho de Jesus Cristo não é relativo e mesmo com a mais perfeita argumentação racional Ele permanece imutável! O mundo não é capaz de nos ensinar nada que nos leve para mais perto de Deus, cuidado...
Cuidado com as falácias irmãos, cuidado com os argumentos filosóficos que vocês têm aprendido com seus autores preferidos, pois o amor de Deus é provado na crucificação de Seu Filho, não pense que Ele vai te provar fechando os olhos para o seu pecado, isso é mentira! Não se engane, se estamos em Cristo já não somos mais escravos do pecado, não andamos mais segundo os nossos próprios desejos... cuidado irmão.
Ou você acha mesmo que Cristo morreu só para ser reconhecido na história e não para remissão de pecados? E se Ele fez isso por causa do nosso pecado, então o pecado é algo sério, mesmo que todos em sua volta digam que não...
Transar antes do casamento e ser imoral continua sendo pecado, mesmo em tempos modernos como o nosso. A cobiça continua conduzindo pessoas à condenação, a falta de amor, a fofoca e a falsidade continuam nos afastando de Deus assim como a dois mil anos atrás, cuidado jovem. O fato de todos fazerem não te torna justificável. Jesus Cristo é a justiça de Deus aplicada em nós, sem Ele somos indesculpáveis e com Ele somos apartados de tudo isso, se de fato estivermos nEle!


Mas vós sois dele, em Cristo Jesus, o qual para nós foi feito por Deus sabedoria, e justiça, e santificação, e redenção”. (I Co 1:30)


Porquanto, não conhecendo a justiça de Deus, e procurando estabelecer a sua própria, não se sujeitaram à justiça de Deus. Pois Cristo é o fim da lei para justificar a todo aquele que crê”. (Rm 10:3-4)
Não se enganem irmãos, não há outra justiça que não aquela propiciada por Jesus Cristo. O que é divertido hoje pode ser trágico amanhã...



06 junho, 2011

Guerra Santa contra mim mesmo

Por Ruy Cavalcante

Olá, meu nome é Igreja e gostaria de me falar algo...

Tenho me observado nos últimos dias e percebi que meu discurso anda meio estranho. Estranho porque não parece que estou conseguindo usá-lo para anunciar que ainda existe uma solução para o mal, pelo contrário, meu discurso está gerando ainda mais ódio e não foi assim que aprendi com Cristo.
Como exemplo mais recente, posso citar a forma como tenho conduzido a discussão sobre o homossexualismo e a PL 122. Não consegui gerar debate, mas embate. As pessoas não estão meditando no que Cristo ensina através desta minha guerrinha, antes estão construindo a cada dia um muro maior de frustração entre elas e eu. Mas sinceramente, eu não entendo porque apontei todas as minhas armas para o homossexualismo, se dentro de mim existem órgãos tão doentes.
A verdade é que eu estou cada dia mais hipócrita.
Quantas vezes eu não me pego em flagrante prostituindo-me? Quantas vezes abandono as necessidades de meus membros que considero menos honrados, para buscar a satisfação de membros superiores, especialmente minhas mãos, olhos e língua? Isso também não seria pecado? E quantas vezes tenho traído meu noivo, trocado seu amor por bajulação, riqueza, unção, poder e vitória?
Eu sei que minha convicção contra a prática homossexual é bíblica, mas é tão bíblica quanto a aversão que Deus sente pela falta de perdão que eu cometo todos os dias.
Não sei, eu só acho que se eu amasse mais, até mesmo os homossexuais seriam contra a tal PL, pois eles não abririam mão de um amor verdadeiro por uma prática não tão boa assim ou, pelo menos, pensariam melhor a respeito.
Poxa, será que eu não enxergo que eles, os homossexuais, estão me odiando cada vez mais? De que maneira eles irão desejar o nosso Deus se, em nome dEle, criamos uma guerra de acusações? Na verdade eu acho que tenho muito que acusar a mim mesmo antes de começar a acusar os outros.
Se for para entrar numa guerra, espero que eu escolha uma guerra contra mim mesmo, contra meus próprios erros antes que todos virem-me as costas.
Melhor seria eu passar fome, nudez e não ter nenhuma porta aberta nem promessa sobre minha vida do que me faltar amor para dar ao pecador, pois eu sou o maior deles.
Todo dia eu busco honra e poder, desejo unção, determino vitória, mas não busco ser cristão.
Eu tenho pena de mim se eu continuar assim...