28 junho, 2012

Nada demais, apenas um desabafo


Por Ruy Cavalcante

Rogo-vos, irmãos, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que sejais concordes no falar, e que não haja dissensões entre vós; antes sejais unidos no mesmo pensamento e no mesmo parecer.  Pois a respeito de vós, irmãos meus, fui informado pelos da família de Cloé que há contendas entre vós. Quero dizer com isto, que cada um de vós diz: Eu sou de Paulo; ou, Eu de Apolo; ou Eu sou de Cefas; ou, Eu de Cristo. Será que Cristo está dividido? Foi Paulo crucificado por amor de vós? ou fostes vós batizados em nome de Paulo?” (I Co 1:10-12)

Porquanto ainda sois carnais; pois, havendo entre vós inveja e contendas, não sois porventura carnais, e não estais andando segundo os homens? Porque, dizendo um: Eu sou de Paulo; e outro: Eu de Apolo; não sois apenas homens? Pois, que é Apolo, e que é Paulo, senão ministros pelos quais crestes, e isso conforme o que o Senhor concedeu a cada um?” (I Co 3:3-5)

Posto isso, me sinto obrigado a dizer que:

Eu não sou católico nem protestante, eu sou cristão. Não sigo bula papal, nem teses de Lutero ou institutas de Calvino, eu sigo a bíblia. Se uma bula papal não contradisser a bíblia, eu apoio, o mesmo vale para as teses de Lutero e institutas de Calvino.
Não sou arminiano, não sou calvinista, não sou carismático, não sou de Paulo nem de Apólo, eu sou apenas de Jesus.
Eu não me emociono com palavras bonitas de padres nem de pastores, o que me emociona e me faz estremecer são as Palavras de Deus, reveladas na bíblia.
Eu não quero governar, eu quero ser servo. Eu não quero enriquecer às custas do trabalho cristão, eu quero acumular riquezas no céu através dele.
Eu trabalho para me sustentar e no dia em que sonhar ser rico, trabalharei mais para alcançar isso, mas jamais me utilizarei da igreja para alcançar tal desejo.
Para mim só é de Deus se for bíblico.
E com esse desabafo não estou condenando nenhuma nomenclatura, apenas colocando Jesus como o centro de minha fé, base de minha conduta e travesseiro de minha visão.
Ele é tudo em todos, e não vejo sentido ter de me posicionar quando a alguma linha teológica, pois apesar de reconhecer o valor de cada uma delas, ambas estão sujeitas ao erro assim como cada linha que eu mesmo escrevo. Dessa forma só considero a bíblia como única e inesgotável fonte da verdade.
E que assim seja.



12 junho, 2012

Risco iminente

Por Ruy Cavalcante
.
Não é novidade, para alguns cristãos, que estamos vivendo tempos difíceis e perigosos na igreja. Mas esse perigo, diferente de outros tempos, não se trata mais de um fator externo.
Não são os ataques externos de satanás que tem tornado o cristianismo sem credibilidade, mas aqueles que ele executa dentro de nossos templos e EBD’s. Não são mais as falsas religiões, as ciências humanas ou as perseguições religiosas, mas os falsos profetas ancorados em nossos púlpitos, esses tem abalado grandemente o cristianismo, e com o apoio da maioria dos cristãos.
A cada dia novas revelações recheiam nosso ego, mistificam nossa fé e norteiam nossa direção. Foi-se o tempo em que os ensinos cristãos eram baseados apenas na palavra de Deus, hoje a experiência pessoal é parte essencial do cânon cristão. Aliás, onde foram parar nossas EBD’s? Ela está praticamente em extinção nas grandes igrejas, especialmente as neopentecostais.
Ignoram-se as advertências divinas realizadas contra doutrinas que vão além do ensino bíblico, do que foi deixado a nós pelos apóstolos e profetas verdadeiramente inspirados e aptos a nos trazer a completa e suficiente revelação de Deus (Mt 11.13; At 2:42), donde destaco as seguintes:

"Todo aquele que vai além do ensino de Cristo e não permanece nele, não tem a Deus; quem permanece neste ensino, esse tem tanto ao Pai como ao Filho". (2 Jo 1:9)
"Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos pregasse outro evangelho além do que já vos pregamos, seja anátema. Como antes temos dito, assim agora novamente o digo: Se alguém vos pregar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema". (Gl 1:8-9)

Inúmeras vezes tive a oportunidade de ler e ouvir irmãos defenderem doutrinas extra-bíblicas de forma tão frenética, que nem Jesus teria a honra de ser tão resguardado assim por eles.

.
Pessoas pragmáticas, que não se importam com a verdade, mas se apegam apenas ao que funciona, mesmo que seus benefícios sejam apenas temporais, o que de fato são.
Minha intenção com este post não é falar sobre doutrina, mas alertar você, meu irmão e irmã, a tomar cuidado. Cuidado para vocês não se condenarem naquilo que aprovam amados (Rm 14:22). As advertências bíblicas são muito claras quanto ao que devemos considerar verdadeiro, e elas sempre se referem à exclusividade da revelação bíblica para fins de fé e prática.
Não aceite em sua vida nem em sua igreja doutrinas que não sejam bíblicas, mesmo que elas façam chover milagres, conforme bem enfatizou Lutero, o que é corroborado com os ensinos apostólicos (os verdadeiros).
Considere maldito, assim como nos ensinou Paulo, todo ensino, toda profecia, toda advertência que não for bíblica. Em suma, se for bíblico é de Deus, mas se não for bíblico NÃO É DE DEUS!
Mas para que vocês não se deixem levar por falsos mestres vocês precisam conhecer o Evangelho de Cristo, e não apenas conhecê-lo, mas cumpri-lo também, pois está é a marca dos que amam a Deus (Jo 14:21).
Essa é uma responsabilidade exclusiva sua, independe de seu pastor, líder ou “cobertura espiritual”. Você precisa ler, meditar, aprender e ser confrontado com a Palavra de Deus. É o conhecimento dela que te impedirá de padecer desnecessariamente (Is 5:13; Pv 10:21).

Faça isso, você não tem do que se arrepender depois.