29 outubro, 2014

Mensagem aos reformados

Por Ruy Cavalcante

Quem me conhece pessoalmente sabe que sou de origem batista, arminiano, mas no decorrer dos anos mudei muito minha visão do Reino de Deus, influenciado que fui e sou por pensamentos, teólogos, livros e irmãos reformados. Não posso dizer que sou calvinista, mas com certeza sou monergista.

Creio sim que a salvação emana ela toda de Deus, sem qualquer participação humana. Creio na soberania absoluta de Deus, compreendendo que nada, absolutamente nada, está alheio ao seu controle e a sua vontade, ainda que permissiva. Creio e sou entusiasta das cinco solas, a ponto de ter desenvolvido o costume de afixar cartazes com um texto contendo elas, adicionadas de alguns comentários meus, na porta de muitas igrejas durante a madrugada do dia 31 de outubro, onde comemoramos o dia da Reforma Protestante. Também creio no amor de Deus, na graça comum, na Sua misericórdia e, em absoluto, na bíblia (o que torna as outras coisas uma consequência desta). Enfim, eu me considero um cristão reformado.


Posto isso, exponho agora minha decepção com muitos irmãos, alguns dos quais foram fonte de influencia para minha caminhada cristã.

Após as eleições, muitos destes irmãos reformados se mostraram absolutamente arminianos, talvez de uma forma tão esdrúxula que até Arminio se espantaria. Manifestações de revolta nas redes sociais, whatsapp e nas igrejas que extrapolam o bom senso e se constituem numa clara e manifesta negação do que até então defendiam com afinco, donde destaco a Soberania de Deus, mas não somente.

Ver irmãos condenando ao inferno outros irmãos, que até outrora eram considerados verdadeiros crentes em Cristo, simplesmente por estes haverem votado na Dilma é, para mim, um absurdo. Vejam bem, eu também acho que ela representa o que há de pior na política brasileira, que a ideologia de seu partido é de fato contrária ao cristianismo, e tudo o mais que vemos, ouvimos e sabemos. Além disso, também estou cheio de convicção de que foi uma péssima decisão votar nela, me pego inclusive pensando que foi um pecado essa atitude tomada por vários irmãos (a de votar no PT), por isso não votei. Mas em que momento a salvação passou a estar vinculada a este voto? Se a Dilma não representa a paz, justiça, amor e a santidade de Deus, por acaso Aécio representa? Se votar na Dilma é ir contra Deus, nessa mesma perspectiva votar no Aécio também não seria?

Penso que essa política partidária não é de Deus, nem do diabo, é nossa, e reflete bem quem somos: Seres caídos, carentes da Graça de Deus. Não é diferente com a Dilma, com o Aécio, comigo ou com vocês. Quem pode rogar para si a capacidade e as qualidades de representar bem a Deus diante dos homens?

Por outro lado, onde ficam afirmações de Jesus como a que diz a respeito das boas árvores? Pode uma árvore má dar bons frutos? Ora, se muitos irmãos vinham dando bons frutos, frutos que permanecem, durante toda sua jornada cristã, eles se tornaram árvores más agora simplesmente por terem votado na candidata do PT? Ora meus amados irmãos reformados, vocês esqueceram que somente a Graça de Deus pode nos fazer tomar direções que estão de acordo com a vontade de Deus?

Por acaso esqueceram que no final das contas, é a vontade de Deus que prevalece? Esqueceram que a razão pela qual a murmuração se constitui pecado, é justamente porque qualquer murmuração é contra Deus? Por que uma eleição humana fez com que vocês negassem essa Soberania divina e demonizassem quem divergiu com o pensamento de vocês? Por que razão bastou que as coisas saíssem de seus controles para vocês agirem como quem é descrente em tudo que a teologia reformada defende? Por acaso vocês acham que os planos de Deus foram frustrados?

Eu entendo a revolta, a frustração, o sentimento de perda, mas isso não justifica o que estão fazendo. Afirmar categoricamente que aqueles irmãos que votaram na Dilma não tem parte no Reino de Deus? Baseados em quê? Vi irmãos dizerem que jamais orariam pelo governo eleito e me pergunto: A vitória do PT justifica nossa desobediência a claros mandamentos bíblicos? A atitude de muitos de vocês é lamentável. Se o cristianismo que vocês vivem não é capaz se suportar algo mínimo, que dirá se um dia tudo que mais tememos de fato ocorrer. Deus nos livre disso.

De uma hora pra outra parece que não creem mais na doutrina da salvação reformada, deixaram de ser monergistas e nem à bíblia dão mais crédito. Tudo depende apenas de em quem nossos irmãos votaram nas eleições brasileiras. Aparentemente a confiança que vocês diziam ter em Deus, virou pavor, e não é mais Deus quem pode proteger a igreja, mas um político qualquer.

Repito, vocês não percebem que, por pior que seja (e eu acho realmente péssimo), votar na Dilma não torna alguém uma árvore má? Que essa atitude não invalida a eleição divina? Que não apaga os bons frutos de alguém? Vocês nãos percebem que pecado por pecado, maldade por maldade, erro por erro, todos nós somos culpados e carecidos somos da Glória de Deus? Não fosse a graça de Deus não somente quem votou na Dilma estaria condenado, mas você que mente, que fofoca, que age por impulso, que não nega a si mesmo, que não ama, que não tem misericórdia.

Ora, As coisas de Deus se firmam em fundamentos absolutamente superiores a nossa vã filosofia, e não é nestas coisas que a salvação está vinculada. Vocês sabem disso, mas por terem sidos contrariados parece que esqueceram. Que fracos vocês são!

Enfim, encerrada a eleição brasileira, oro para que tudo se tranquilize, e para que vocês voltem a ensinar e praticar as doutrinas reformadas, mas oro principalmente para que Deus os torne fortes, coerentes e mansos, pois mais eleições virão, e o povo de Deus, e nós, precisamos de vocês como suporte, não como cegos desesperados, sem saber para onde ir.

Deus abençoe a todos.


***
Postado originalmente no Blog Púlpito Cristão, com o título "Mensagem a alguns irmãos reformados".



0 comentários:

Postar um comentário

Somente comentários ofensivos serão moderados. Discordar de mim não é pecado, então discorde à vontade.