02 fevereiro, 2016

Idolatrando a ignorância, ou ignorando à verdade


Por Ruy Cavalcante

Quando Esdras e Neemias, um após o outro, retornam a Jerusalém, juntamente com milhares de outros israelitas que foram autorizados a deixarem o cativeiro Persa, a fim de reconstruírem Jerusalém, o Templo e ali habitarem, algo essencial ocorreu e tal acontecimento ocasionou um grande avivamento, descrito a partir do capítulo 8 do livro de Neemias.

Diz a Palavra de Deus que o escriba Esdras reuniu-se com o povo, a fim de lerem e meditarem na Lei de Deus. Ali se reuniram homens, mulheres e todos os que possuíam capacidade cognitiva, para que pudessem ouvir e compreender tudo o que Esdras lia diante deles. Esta leitura durou a manhã inteira e todo o povo permanecia imóvel e atento à leitura.

Além de realizada a leitura, haviam vários levitas dando explicações de tudo o que se lia. Estes relatos deixam claro que o Escriba Esdras e o Governador Neemias tinham urgência em que o povo conhecesse a Lei de Deus, para que pudessem finalmente restaurar mais do que as paredes do Templo ou os muros de Jerusalém, mas a sua própria fidelidade a Deus.

Eis que após a compreensão da Palavra, o povo se põe a chorar. Estavam aflitos pois perceberam que suas vidas estavam distantes de Deus. Coube a Esdras, Neemias a aos levitas consolarem o povo, pois percebiam que ali ocorria o que muito tempo depois Jesus veio a ensinar em suas bem aventuranças, a respeito do consolo dos que choram (Mt 5:4). Esse é o choro do arrependimento, daqueles que tiveram seus corações quebrados e perceberam sua miséria diante de Deus, buscando a partir de então a restauração de suas vidas.

Dia após dia o Escriba e Sacerdote Esdras permaneceu lendo e dando explicações da palavra ao povo, e o povo se fortaleceu.

Hoje nos deparamos com situações como as do vídeo, levadas a cabo por um povo carente de conhecimento das Palavras do Criador. Um rebanho de pessoas conduzidas por lobos vorazes, mas que não possuem capacidade de reconhecer que este caminho não é de vida.

Só o conhecimento de Deus e de sua palavra poderá livra-los desta exploração. E o meu desejo é que eles venham a conhecer estas verdades imutáveis do Evangelho e possam ser não apenas libertos da opressão de homens e mulheres que arrancam-lhes a lã sem remorso, mas da opressão de estarem distantes da verdade e, desta forma, distantes de Deus.

Vejo sinceridade nos olhares destas pessoas, percebo um desejo zeloso de se achegarem a Deus, mas infelizmente o zelo e a sinceridade sem a posse da verdade não são suficientes, conforme nos ensina o apóstolo Paulo:

"Porque lhes dou testemunho de que eles têm zelo por Deus, porém não com entendimento. Porquanto, desconhecendo a justiça de Deus e procurando estabelecer a sua própria, não se sujeitaram à que vem de Deus". (Rm 10:2 -3)

Que Deus tenha misericórdia de todos nós.

***



0 comentários:

Postar um comentário

Somente comentários ofensivos serão moderados. Discordar de mim não é pecado, então discorde à vontade.